domingo, 29 de janeiro de 2012

OPALA


OS PRINCIPAIS MODELOS

 O primeiro modelo(o farol quadrado), tinha 4 portas, cambio de 3 marchas, e a alavanca ficava na coluna de direção(isso lhe dava a capacidade de carregar 6 pessoas), tinha 2 opções de motor o de 2 500cc e o de 3 800 cc.
                                                 
Um dos modelos mais especiais do Opala é o SS. Foi uma versão esportiva, criada em 1970 usava o motor 6cc 4 100, e atingia a velocidade de 169,49 km/h. Algumas mudanças aconteceram na estética como as faixas pretas no capô e nas laterais e as rodas de aço com desenho de estrela e 5 polegadas de largura, meia a mais que nas outras versões. No interior, alguns toques de requinte, como manopla de câmbio e aro de volante de madeira, mais um relógio analógico no console à frente da alavanca de marchas. No painel de instrumentos, um conta-giros entre os dois mostradores maior. O modelo SS inicialmente saiu na versão quatro portas, só em 1972 veio a versão cupê nesse modelo marcava muito a ausência de coluna central, janelas sem molduras e caída fluida da traseira. A emoção veio em 1976, com o lançamento do motor 250-S, com carburador de corpo duplo, tuchos de válvula mecânicos e comando mais bravo, o 250-S chegava aos 171 cavalos brutos. 1978.


                                                                                                   SS
                                                                          
Aceleração 0 a 100 km/h - 11,67 s 
Velocidade máxima - 189,48 km/h 
Frenagem - 80 km/h a Zero: 27,35 m 
Consumo - Entre 5,63 e 8,75 km/l em teste e estrada; média de 8,06 km/l com gasolina amarela 

Ficha técnica
Motor: dianteiro, longitudinal, 6 cilindros em linha, 4093 cm3, comando de válvulas no bloco, válvulas no cabeçote (duas por cilindro), carburador de corpo simples, refrigerado a água, a gasolina
Diâmetro x curso: 98,4 x 89,8 mm
Taxa de compressão: 7:1
Potência: 140 cv brutos a 4000 rpm
Torque máximo: 36 mkgf brutos (29 líquidos) a 2400 rpm
Câmbio: manual de 4 marchas, tração traseira
Carroceria: sedã de 4 portas, 5 lugares
Dimensões: comprimento, 457 cm; largura, 176 cm; altura, 138 cm; entreeixos, 267 cm
Peso: 1172 kg
Suspensão: dianteira: independente, braços triangulares duplose molas helicoidais; traseira: eixo rígido com tensores duplos longitudinais, barra Panhard e molas helicoidais
Freios: disco sólido na dianteira e tambor na traseira
Direção: setor e rosca sem-fim
Rodas e pneus: aço estampado, aro 14, tala de 5 polegadas; 7.35 S 14


                                                                            SS
  Com o tempo os Opala recebeu algumas modificações, não muito drásticas mais recebeu, só que em 1980 isso mudou, quando chegou a versão mais inovadora. Com faróis retangulares, frente e traseira redesenhadas, foi lançado o modelo DIPLOMATA, que trazia, itens de conforto, com direção hidráulica e ar-condicionado de série. No segundo semestre de 1980, foi iniciada a venda com motor a álcool de 4 cilindros, e na linha 81 a "família" Opala recebeu painel de instrumentos totalmente redesenhado. Em 82, a disponibilidade do câmbio de 5 marchas para o motor de 4 cilindros.
Diplomata

        No dia 16 de abril de 1992, uma Quinta-feira da Semana Santa, uma solenidade foi realizada na fábrica de São Caetano do Sul, em São Paulo. Por volta das 14 horas, deixou a linha de montagem o Opala de número um milhão. Na ocasião, porém, o modelo também despediu-se de seu público, para sempre. Foi o último exemplar produzido, representando o fim de uma Era. Aperfeiçoado em regulares e freqüentes intervalos de tempo, o Opala refletiu o próprio desenvolvimento da indústria automobilística no Brasil, nesses 23 anos em que esteve em linha. A milionésima (e última) unidade fabricada – um Diplomata vermelho perolizado com estofamento em couro – está sendo preservada para a posteridade pela GMB, devendo compor o acervo do Museu da empresa.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário